domingo, 29 de dezembro de 2019

Voltar onde Somos Felizes a Fotografar...


O desafio foi lançado pelo Jornal do Fundão, foi um acaso a escolha dos locais, mas a verdade é que acabei por fotografar em dois locais que gosto muito na Beira Baixa, na aldeia de Isna em Oleiros e em São Vicente da Beira em Castelo Branco. A ideia era criar um portfólio de cada uma destas aldeias, também foi nestas aldeias que decorreu a iniciativa "Dez Aldeias; Dez Escritores" e os textos dos escritores em residência acompanharam as imagens de cada aldeia na revista de Natal do Jornal do Fundão. 
A Isna, é uma aldeia que não me sai da retina, gosto da sua disposição ao longo do vale, a sua azáfama, a sua afectividade que se traduz em imensos convites para as adegas, e estes espaços relevam-se espaços de partilha, boa conversa e descoberta dos aromas e sabores locais. Também a sua ruralidade é ainda muito presente, facilmente encontramos rebanhos, pessoas nas hortas, carroças, produtos agrícolas, entre outros exemplos. A paisagem é diversificada, as culturas aparecem na zona mais baixa e nos socalcos, a floresta é na sua maior parte de pinheiros, mas encontram-se ainda alguns castanheiros, medronheiros e sobreiros. E não muito longe, visita obrigatória à Ribeira da Isna e à Azenha do Barbeiro. São Vicente da Beira é a minha freguesia natal, a relação afectiva é grande, a família, os amigos e os locais que conhecemos desde a infância que muito facilmente transformamos em imagens. Vou muitas vezes, gosto da casa de família lá pela relação umbilical, pois foi lá que nasci, e porque não tem rede de nenhuma operadora móvel ou fixa, o resultado é um autentico afastar do mundo tecnológico, e por isso um total descanso, um luxo dos dias de hoje e até costumo dizer, que só ali consigo ter férias! Mas felizmente temos um aparelho electrónico que funciona lá, a máquina fotográfica e por isso, sempre que vou, vou fazendo uma ou outra imagem, gosto de pensar que desta forma faço um registo documental, eternizando-o no espaço e no tempo. Passo sempre pela Senhora d´Orada, gosto deste espaço sagrado, a sua ribeira dá inúmeras oportunidades fotográficas ao longo do ano, gosto também da romagem que os locais e alguns forasteiros fazem para ir beber ou apanhar a água às bicas, que se diz por aí que são milagrosas! 
Desta vez não foi muito diferente das outras vezes que fui fotografar a estes dois locais, por isso estes são dois dos locais que gosto de voltar, porque sei que lá sou feliz a fotografar! ;=)