domingo, 13 de março de 2016

Imagem em artigo na National Geographic Portugal

Aspecto da realização da imagem da lápide no Museu Tavares Proença Junior 


Imagem já no artigo na edição de Março da revista National Geographic Portugal 

Esta foi claramente a imagem mais difícil de fazer até hoje, se eu vos disser que esperei quase dez anos para realizar a imagem que agora completa o artigo na edição portuguesa da revista National Geographic Portugal. Na altura, em conversa com o editor da revista achamos a peça interessante e que podia dar um artigo na revista. A verdade é que não obtivemos a autorização necessária para a realização da imagem e a ideia foi ficando arrumada na gaveta, passados oito anos, lembrei-me da peça e desta vez obtivemos a devida autorização do Municipio de Castelo Branco para realizar a imagem. A peça é uma lápide em granito, proveniente da demolida capela de S. Brás situada anteriormente no castelo de Castelo Branco. Entrou para o Museu Francisco Tavares Proença Júnior de Castelo Branco a 1909 e relata um parto prodigioso ocorrido a 14 de Julho de 1716, em que nasceram gémeos siameses ligados pelo baixo ventre. Posteriormente o Bispo mandou elaborar esta lápide a evocar o fenómeno e colocou-a a cobrir o nicho onde os infelizes gémeos foram colocados. Esta é a história que ficou para sempre imortalizada nesta lápide, a descobrir na edição de março da National Geographic Portugal.